Na catumbela, Crianças Clamam por Falta de Água no bairro alto niva: Esse Desespero é Ignorado pelo Governo Local

 

Na catumbela, Crianças Clamam por Falta de Água no bairro alto niva: Esse Desespero é Ignorado pelo Governo Local

A escassez de água é uma crise nacional que afeta milhões de angolanos, mas é especialmente devastadora quando atinge a província de Benguela, município da catumbela e os seus bairros, onde a falta de acesso à água potável é uma realidade diária. Neste artigo, examinarei a dolorosa realidade das crianças Angolanas que clamam por água em seus bairros e como o governo local muitas vezes ignora seus apelos desesperados.

**O Drama Cotidiano das Crianças Sem Água na catumbela/bairro alto niva:**

Para muitas crianças no bairro alto niva afetado pela escassez de água, a busca por esse recurso vital se torna uma luta diária. Elas enfrentam longas caminhadas até fontes distantes, esperam por horas em filas para obter água em poços públicos ou se arriscam em fontes de água contaminada. O simples ato de obter água potável se transforma em uma tarefa perigosa e desgastante.

Essas crianças sofrem as consequências devastadoras da falta de água em suas vidas diárias. A falta de higiene adequada leva a doenças evitáveis, como diarreia e infecções respiratórias. A desnutrição se agrava quando não há água suficiente para preparar alimentos ou irrigar plantações. E, mais preocupante ainda, muitas vezes, a falta de acesso à água interfere na capacidade das crianças de frequentar a escola regularmente, negando-lhes o direito fundamental à educação.

**Os Apelos Ignorados pelo Governo Local:**

Apesar das condições desesperadoras enfrentadas por essas crianças, os apelos por ajuda muitas vezes caem em ouvidos surdos no governo local. O bairro alto niva afetado frequentemente se deparam com uma resposta inadequada ou mesmo indiferença por parte das autoridades governamentais.

As promessas de melhorias na infraestrutura hídrica raramente se concretizam, os fundos destinados à resolução da crise muitas vezes são desviados para outros fins e as preocupações das comunidades são relegadas ao segundo plano. Enquanto isso, as crianças continuam a sofrer as consequências devastadoras da falta de água em seus bairros, sem perspectivas de alívio à vista.

No passado, o bairro alto niva localizado no município da catumbela, já vivia esse mesmo problema.

JPRIVADO, como muitos jovens da sua época residentes no bairro alto niva e nos arredores da catumbela, acordava cedo todas as manhãs para iniciar a minha jornada em busca de água. Eu caminhava quilômetros por terrenos acidentados, enfrentava os elementos naturais, tudo isso com o objetivo de levar água para minha família. Os barris pesados sobre sobre a minha cabeça não eram apenas uma carga física, mas também um símbolo da responsabilidade que eu sentia em garantir o bem-estar dos meus entes queridos.

**A Necessidade de Ação Urgente:**

A escassez de água é um problema complexo que requer uma abordagem multifacetada e colaborativa para ser resolvido. O governo local tem a responsabilidade de priorizar as necessidades básicas de suas comunidades e garantir o acesso universal à água potável.

É imperativo que as autoridades governamentais ouçam os apelos das crianças e das comunidades afetadas e ajam com urgência para abordar a crise hídrica. Isso envolve o investimento em infraestrutura hídrica, a implementação de políticas eficazes de conservação de água e o fornecimento de recursos adequados para garantir que todas as crianças tenham acesso a água limpa, segura e acessível em seus bairros.

**Conclusão:**

À medida que as crianças continuam a clamar por água em seus bairros, é imperativo que o governo local responda a esses apelos com seriedade e compromisso. Negligenciar as necessidades básicas das comunidades afetadas pela escassez de água é uma falha moral e uma violação dos direitos humanos fundamentais. Somente através da ação concertada e determinada podemos garantir um futuro onde todas as crianças tenham acesso à água potável e possam viver vidas saudáveis e dignas.

POR -WANDERLEI 

  • Notícias relacionadas

    ANGOLA:MCA entrega projeto de 37 milhões de euros para levar energia limpa a mais de 55 mil pessoas

    MCA entrega projeto de 37 milhões de euros para levar energia limpa a mais de 55 mil pessoasCom uma potência instalada de 25,3 MWp, foram montados cerca de 44 mil…

    Governo e sindicatos chegam a acordo e salário mínimo duplica

    O Executivo e os sindicatos chegaram, esta terça-feira, a acordo sobre o salário mínimo nacional e as actualizações salariais da função pública, na sequência de algumas reivindicações do Caderno Reivindicativo.…

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Você perdeu

    ANGOLA:MCA entrega projeto de 37 milhões de euros para levar energia limpa a mais de 55 mil pessoas

    • Maio 29, 2024
    • 48 views
    ANGOLA:MCA entrega projeto de 37 milhões de euros para levar energia limpa a mais de 55 mil pessoas

    EUGÉNIO LABORINHO IGNORA DESCONTENTAMENTO DOS POLICIAIS DA GUARDA DE FRONTEIRA DE ANGOLA

    • Maio 29, 2024
    • 14 views

    Negócio “mal explicado” de 600 autocarros por 323,5 milhões de euros do grupo Opaia Europa e IDC International Trading repercute na imprensa internacional

    • Maio 29, 2024
    • 56 views
    Negócio “mal explicado” de 600 autocarros por 323,5 milhões de euros do grupo Opaia Europa e IDC International Trading repercute na imprensa internacional

    ANGOLA:Indícios de escândalo financeiro abalam Administração Geral Tributária

    • Maio 29, 2024
    • 134 views
    ANGOLA:Indícios de escândalo financeiro abalam Administração Geral Tributária

    Governo e sindicatos chegam a acordo e salário mínimo duplica

    • Maio 29, 2024
    • 20 views
    Governo e sindicatos chegam a acordo e salário mínimo duplica

    Secretário de Estado para os Antigos Combatentes impede a imprensa gravar respostas às reclamações dos pensionistas

    • Maio 22, 2024
    • 26 views
    Secretário de Estado para os Antigos Combatentes impede a imprensa gravar respostas às reclamações dos pensionistas