DEMISSÕES EM MASSA NA RECORD: PERCA DO CONTROLE DA IURD EM ANGOLA EMBARAÇA EDIR MACEDODEMISSÕES EM MASSA NA RECORD: PERCA DO CONTROLE DA IURD EM ANGOLA EMBARAÇA EDIR MACEDO

Esta será uma semana difícil para quem trabalha na Record. Os principais executivos da emissora foram avisados na semana passada de que terão de fazer cortes em suas equipes, com forte impacto nos orçamentos. Todas as áreas serão afetadas, inclusive afiliadas, mas principalmente o Jornalismo, onde estão os maiores salários.

O passaralho é uma resposta ao mau momento pelo qual passa a emissora, com queda nas vendas de publicidade e aumento dos custos de produção. No ano passado, a Record registrou um prejuízo de R$ 517 milhões, um recorde histórico.

O mercado de mídia como um todo passa pela pior crise dos últimos oito anos, e as emissoras de TV têm sido as mais prejudicadas. Estão perdendo anunciantes para multinacionais que investem apenas em tecnologia e exploram a produção de conteúdo de terceiros. Nas últimas semanas, Band e Gazeta passaram por fortes ajustes internos.

Ler Mais em : noticias da tv.uol.com.br

WhatsApp-Image-2023-07-04-at-10.48.56-jpeg DEMISSÕES EM MASSA NA RECORD: PERCA DO CONTROLE DA IURD EM ANGOLA EMBARAÇA EDIR MACEDO

Qual foi o motivo do prejuízo?

Conforme antecipou o jornalista Sandro Nascimento, do NaTelinha, a Record registrou um prejuízo de mais de meio bilhão de reais em 2022, depois de três anos de lucros consecutivos (2019, 2020 e 2021). A maior parte do prejuízo, no entanto, não foi causado por ela, mas pelo Banco Digimais (ex-Renner), que passou a ser controlado pelo bispo Edir Macedo, dono da Record, em 2020.

No ano passado, o Digimais teve um prejuízo de R$ 323 milhões. Como a Record é controladora do banco, absorve esse resultado em seu balanço. Sem o desempenho negativo do Digimais e de outras empresas controladas pela Record, o prejuízo da emissora seria de “apenas” R$ 188 milhões.

Vários analistas também aponta a perca do control da igreja Universal em Angola, prejudicou nas receitas da Tv Record que viu encerrada a sua filial no país africano. 

Folha de São Paulo e Lil Pasta News

Ler Mais em : Lil Pasta News

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

LinkedIn
Share
WhatsApp