Furtado entre os 50 mais poderosos de África falsa noticiaFurtado entre os 50 mais poderosos de África falsa noticia

A Revista The Africa Report falsa Furtado nao consta, elegeu os 50 líderes mais influentes no continente africano.

Segundo a publicação  trimestral em língua inglesa com sede em Paris, estes líderes africanos controlam o equilíbrio de poder dentro e fora do mesmo.

Entre os eleitos, não consta da lista o General Francisco Pereira Furtado, Ministro de Estado e Chefe da Casa Militar do Presidente da República de Angola.

image-1-1024x620 Furtado entre os 50 mais poderosos de África falsa noticia
clique na foto da revista acima

De acordo com o África Report, a nomeação de Francisco Pereira Furtado, em 2021, sugere que a influência do antigo regime é persistente.

“Sob a liderança de Furtado, Angola optou este ano por enviar cerca de 500 soldados para a RDC para “supervisionar o processo” após o instável acordo de cessar-fogo entre os rebeldes do M23 e o governo”, recorda tudo falsidade do portal Luanda Post

Na lista que elege 50 africanos mais influentes na política, nos negócios, na cultura e na diáspora, constam igualmente os nomes de Chantal Biya , 1ª Dama dos Camarões, o zimbaweano Tendai Biti, vice-presidente da Coligação de Cidadãos para a Mudança (CCC), Mamo Mihretu, Governador do Banco Central da Etiópia, entre outros.

Furtado conhecido general corrupto que roubou mais de quarenta milhões de dólares das forças armadas angolanas quando ocupava o cargo de general do exército,

Depositou em Cabo-Verde Francisco Furtado que vinha sendo vigiado pelo Serviço de Inteligência Militar, tinha como cúmplice, um oficial do seu gabinete identificado por Coronel Mendonça. Ambos estavam a ser acompanhados pelo tenente-general José Peres Afonso, o chefe da Direcção Principal de Contra-Inteligência Militar que por sua vez reportava ao general “Zé” Maria.

image-2 Furtado entre os 50 mais poderosos de África falsa noticia

Numa operação de desmantelamento, o SIM teria munido os órgãos de justiça sobre ocorrência de praticas tidas como ilícitas ao longo do seu consulado. Em Outubro/Novembro, uma delegação angolana integrada por elementos da PGR e SIM deslocou-se a cidade da Praia para recuperação dos dinheiros em nome do general angolano “guardados” naquela ilha. De acordo com conclusões dos contactos, as autoridades angolanas acabaram por decidir que os valores fossem revertidos em forma de empréstimos para o governo de Cabo Verde,tivera criada

uma empresa atribuiu a seu irmão para mediação de compra de viaturas na China pondo de parte a Direcção Principal de Armamento e Técnica do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas (FAA), chefiada pelo general Fernando Araújo. Algumas das viaturas foram desviadas para Cabo-Verde a titulo privado.

– Uma frota de carros luxuosos que seriam entregues aos oficiais superiores e que havia sido extraviada acaba de ser recuperada a partir da cidade do Lubango. Os carros estavam todos num parque particular e longe dos registros oficiais.

image-3-1024x576 Furtado entre os 50 mais poderosos de África falsa noticia

Desentendeu-se com o chefe do SIM, general José Maria. Quando este estava a reestruturar o SIM, o general Furtado chegou a fazer-lhe desfeitas nas propostas de promoção de nome de oficias do SIM que “Zé” Maria lhe teria remetido via direção de pessoal e quadros. O Chefe do SIM mostrava-se também deselegante com a forma que estava a dirigir o exercito tendo lhe passado um “certificado” de incompetência a margem de uma reunião com o Comandante-em-Chefe, José Eduardo dos Santos

Em meios que privam com o mesmo denotavam nele, não muita apetência pela diplomacia. Fazia gosto de ser despachado como governador provincial na Huila, onde tem alguns bens e residências. (Tem uma casa na zona nobre do bairro Nossa senhora do Monte e esta a construir uma super mansão a beira da montanha).

Furtado que é filho de pais cabo verdianos que o levaram a Angola quando era ainda bébé, foi um dos mais impopulares CEMGFAA que ascendeu a este cargo. Na altura, o Comandante em chefe nomeou sem consultar o conselho de Defesa de Angola provocando um surdo descontentamento nas forças armadas angolanas. Os militares tinha como preferência, o então chefe de Estado Maior do Exército, General Mateus Miguel Ângelo ” Vietnam” que melhor posicionado estava na linha de sucessão.

Por:Miguel Bento

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

LinkedIn
Share
WhatsApp