Gato prepara Álvaro para concorrer com ACJGato prepara Álvaro para concorrer com ACJ

Ainda faltam três anos para a realização do XIV Congresso Ordinário da UNITA, mas nos bastidores já se fala de possíveis candidatos em projecção para disputarem com o actual líder do partido, que já manifestou o interesse de concorrer à sua própria sucessão,Lukamba Paulo (Gato), depois de ter manifestado em público que já não voltaria a concorrer à liderança da UNITA, depois de ter perdido para Isaías Samakuva em dois conclaves consecutivos, para o próximo congresso, terá decidido preparar o actual secretário-geral do partido, Álvaro Chikwamanga Daniel, como seu candidato, para concorrer com o presidente desta força política, Adalberto Costa Júnior. “Quero descansar um pouco. Já não tenho pêlos no peito de tanto rastejar no mato… Agora quero, com os meus kilapis, cuidar da família… Mas ganharia esses tipos todos se eu concorresse”, wHAS1wJ9lbm1gAAAABJRU5ErkJggg== Gato prepara Álvaro para concorrer com ACJ3RWQh5RHLWe9ICpGxCbh06WK5GftfDIkpl45VDKk56x2JjSE1pSvghDwP+p9T28gSFr5ukGTewsOUx3qbBF5r1ZRHbO8DS2kyMlOesCUZTHxrQXQ3DjmqRXtYeUrwODa1ijxhhBB9oUn+CSEGQ39DNkII0REFJEKIwaCARAgxGBSQCCEGgwISIcRgUEAihBgMCkiEEINBAYkQYjAoIBFCDAYFJEKIwaCARAgxGBSQCCEGgwISIcRgUEAihBgMCkiEEINBAYkQYjAoIBFCDAYFJEKIwaCARAgxGBSQCCEGgwISIcRgUEAihBgMCkiEEINBAYkQYjAoIBFCDAYFJEKIwaCARAgxGBSQCCEGgwISIcRgUEAihBgMCkiEEINBAYkQYjAoIBFCDAYFJEKIwaCARAgxGBSQCCEGgwISIcRgUEAihBgMCkiEEINBAYkQYjAoIBFCDAYFJEKIwaCARAgxGBSQCCEGgwISIcRgUEAihBgMCkiEEINBAYkQYjAoIBFCDAYFJEKIwaCARAgxGBSQCCEGgwISIcRAAP8HunqKOWCf7pEAAAAASUVORK5CYII= Gato prepara Álvaro para concorrer com ACJdisse a fonte, citando Gato no XIII Congresso Ordinário que elegeu Adalberto Costa Júnior como novo presidente da UNITA, em substituição de Isaías Samakuva. A projecção de Álvaro Chikwamanga Daniel conta com o apoio de influentes futuro líder em 2026, com ressalta a nossa fonte. Bienos querem Massanga Segundo apurámos de outras fontes, no interior do Galo Negro, existe uma corrente de membros e militantes fiéis a Jonas Savimbi, maioritariamente da província do Bié, terra natal do então líder, que querem apostar em Rafael Massanga como forma de ‘imortalizar’ os ideiais do fundador desta força política, em protesto à alegada má gestão de Adalberto Costa Júnior, acusado de desviar o projecto de Muangai (Moxico), local onde foi fundada esta força política em 1966. Considerado como o sósia de Jonas Savimbi, Massanga é o filho do fundador da UNITA com mais visibilidade política, ou seja, que lançou-se mais na política activa, ao contrário de outros irmãos, cuja prole ronda os mais de 30, uns a residir em Angola e outros no estrangeiro. Nunca se manifestou publicamente em concorrer para a liderança do partido, apenas defendeu, em várias entrevistas que já concedeu em Angola, que o que mais o interessava, primeiramente, era trabalhar para o seu Partido e para “uma Angola justa para todos”, e que o futuro diria depois o resto,tes figuras de proa, que, de acordo com fontes deste jornal dizem estar desapontados com a gestão do Partido pelo actual presidente, pelo que apostam nele, para dar um novo rumo e uma nova dinâmica, a julgar pelos novos desafios que este partido tem pela frente, mormente as eleições autárquicas. O nome do actual secretário-geral é o mais ouvido e mais consensual, entre os seguidores de Lukamba Gato, um dos mais respeitados dirigentes da UNITA e antigo delfim de Jonas Savimbi, embora ainda faltem três anos para a realização do conclave. Entre outros nomes que foram antes ventilados para concorrer com Adalberto Costa Júnior, figuravam os de Rafael Massanga, actual secretário para os negócios estrangeiros, e Liberty Chiyaka, presidente do grupo parlamentar, mas a fonte do Pungo a Ndongo confidenciou que ambos foram aconselhados para fazê-lo depois de 2026. A ideia é que, depois daquele ano, ganhariam mais maturidade política e evitariam que fossem ‘humilhados’ por Adalberto Costa Júnior, numa eventual disputa presidencial, por, segundo a fonte, o líder gozar ainda de muita popularidade no seio dos militantes do que os seus dois pupilos e seus principais colaboradores, que tiveram também um papel fundamental para a sua ascensão ao cargo mais alto da direcção do Partido, durante a campanha do XIII Congresso Ordinário. Massanga e Chyaka, apesar de gozarem de alguma simpatia no seio do partido, precisam de mais rotina política, ao invés de se “aventurarem concorrer com o seu chefe”, nesta fase, que ele conta com uma falange de apoio, constituída por jovens projectados por si, embora não seja a maioria para decidirem sobre o Mas, nos últimos dias, parece terá mudado de ideias, segundo fontes próximas a si, e estará a trabalhar para começar a sua ‘campanha’ quando ainda faltam 36 meses para o fim do mandato da actual direcção. Chiyaka quer Huambo Sobre Liberty Chiyaka, antigo secretário provincial do ‘Galo Negro’ no Huambo, onde desenvolveu um trabalho digno de registo, que o catapultou para o actual cargo que exerce, é apontado como um jovem promissor, mas as fontes apontamno como um putativo líder da UNITA, em 2030. Contudo, a fonte admite que Chiyaka devia ser uma boa aposta para concorrer à liderança da autarquia do Huambo, uma circunscrição que bem conhece, e durante o seu consulado terá conquistado muitas simpatias da população. Numa entrevista que concedeu a uma TV digital, Liberty Chiyaka, além da sua pretensão de um dia dirigir o seu partido, revelou que o projecto imediato é concorrer à autarquia do Huambo, tão logo sejam implementadas as autarquias locais. Apesar de ter nascido na província do Uíge, nas suas veias ferve o sangue ovimbundu, decorrente dos seus ancestrais, fundadores do Reino da Chiyaka, que engloba os municípios da Ekunha, Caála, Longonjo, Ukuma, Chinjenje e algmas localidades do Norte da Huíla, nomeadamente o município de Caluquembe. Quadro competente Quanto a Álvaro Chikwamanga Daniel, é apontado nos círculos internos da UNITA como sendo um quadro competente, intelectual, disciplinado, e está em condições de competir em pé de igualdade com Adalberto Costa Júnior para liderar a UNITA. Natural de Benguela, 55 anos, mestre em Direito Autárquico, ele que já foi secretário provincial adjunto, e secretário nacional da Juventude Unida Revolucionária de Angola (JURA), braço juvenil da UNITA, é um candidato a ter em conta, mas até lá ainda muita coisa há-de acontecer sobre este assunto.

Por:Ireneu Mujoco

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

LinkedIn
Share
WhatsApp