MANIFESTAÇÃO EM ISRAEL : A população aglomeram em frente à casa do primeiro-ministro,com bandeiras azuis e brancas e gritando “Prisão agora a Benjamin Netanyahu criminoso!”MANIFESTAÇÃO EM ISRAEL : A população aglomeram em frente à casa do primeiro-ministro,com bandeiras azuis e brancas e gritando “Prisão agora a Benjamin Netanyahu criminoso!”

JERUSALÉM – A polícia conteve manifestantes do lado de fora da residência do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, neste sábado, em meio à indignação generalizada com os fracassos que levaram ao ataque mortal do mês passado por homens armados do Hamas contra comunidades ao redor da Faixa de Gaza.

Agitando bandeiras israelenses azuis e brancas e gritando “Prisão agora!”, centenas de pessoas atravessaram as barreiras policiais ao redor da residência de Netanyahu em Jerusalém.

O protesto, que coincidiu com uma sondagem que mostrou que mais de três quartos dos israelitas acreditam que Netanyahu deveria demitir-se, sublinhou a crescente fúria pública contra os seus líderes políticos e de segurança.

Até agora, Netanyahu não aceitou a responsabilidade pessoal pelos fracassos que permitiram o ataque surpresa que viu centenas de homens armados do Hamas invadirem o sul de Israel em 7 de outubro, matando mais de 1.400 pessoas e fazendo pelo menos 240 reféns.

À medida que o choque inicial se desvaneceu, a indignação pública aumentou, com muitas famílias dos reféns detidos em Gaza a criticarem amargamente a resposta do governo e a pedirem que os seus familiares fossem trazidos para casa.

Em Tel Aviv, milhares de pessoas manifestaram-se, agitando bandeiras e segurando fotografias de alguns dos cativos em Gaza e cartazes com slogans como “Libertem os reféns agora a todo custo”, enquanto multidões gritavam “traga-os para casa agora”.

42CILKTGRFPPZAABC5ADHJGXIM MANIFESTAÇÃO EM ISRAEL : A população aglomeram em frente à casa do primeiro-ministro,com bandeiras azuis e brancas e gritando “Prisão agora a Benjamin Netanyahu criminoso!”

 Manifestantes se reúnem contra o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu perto de sua residência, enquanto o conflito entre Israel e o grupo islâmico palestino Hamas continua, em Jerusalém,

Ofri Bibas-Levy, cujo irmão, juntamente com seu filho Ariel, de quatro anos, e Kfir, de 10 meses, foram feitos reféns pelo Hamas, disse à Reuters que veio mostrar apoio à sua família.

“Não sabemos onde eles estão, não sabemos em que condições eles são mantidos. Não sei se Kfir está conseguindo comida, não sei se Ariel está recebendo comida suficiente. querido”, disse Bibas-Levy.

Desde o ataque, Israel lançou uma intensa ofensiva aérea e terrestre em Gaza, matando mais de 9.000 pessoas, dizem as autoridades de saúde na área controlada pelo Hamas, e reduzindo grandes áreas do enclave a escombros.

Mesmo antes da guerra, Netanyahu já era uma figura divisiva, combatendo acusações de corrupção, que nega, e promovendo um plano para restringir os poderes do poder judicial que levou centenas de milhares de pessoas às ruas para protestar.

No sábado, uma pesquisa do Canal 13 de televisão de Israel revelou que 76% dos israelenses achavam que Netanyahu, que agora cumpre um sexto mandato recorde como primeiro-ministro, deveria renunciar e 64% afirmavam que o país deveria realizar eleições imediatamente após a guerra.

Quando questionados sobre quem é o maior culpado pelo ataque, 44% dos israelenses culparam Netanyahu, enquanto 33% culparam o chefe do Estado-Maior militar e altos funcionários das FDI e 5% culparam o Ministro da Defesa, de acordo com a pesquisa.

Reuters Reportagem de Emily Rose; Edição de Ros Russell e Emelia Sithole-Matarise

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

LinkedIn
Share
WhatsApp