Perseguição a jornalistas em Angola continua a aumentar pelas autoridades do governoPerseguição a jornalistas em Angola continua a aumentar pelas autoridades do governo

O secretário geral do Sindicado de Jornalistas Angolanos (SJA) classificou de abuso de autoridade a destruição do material do jornalista da rádio Ecclesia Anselmo Leite, em Ondjiva, privíncia do Cunene, que continha gravações feitas no Fórum da Juventude, em que participou a governadora do Cunene Gerdina Didalelwa. Na sexta-feira, 21, no final do encontro de auscultação dos jovens da província do Cunene pela governadora Didalelwa, no auditório da Escola Técnica de Saúde, agentes da polícia à paisana perseguiram e mandaram o jornalista destruir o material.”Depois de termos feitos o nosso trabalho, fiquei bastante surpreendido quando fui interpelado por quatro agentes da Polícia Nacional, à paisana, estavam jornalistas da rádio Ecclesia, rádio Lumbamba e a rádio Cunene, como é que só a mim intercetaram daquela forma, pediram que abrisse o meu telefone onde continha os áudios, mandaram reproduzir os sons, eu reproduzi e mandaram apagar o som”, contou Leite.”Estamos em presença de uma obstrução ao exercicio da liberdade de imprensa e nos termos do código penal é crime”, disse Teixeira Candido nesta terça-feira, 25, quem lembrou que “nenhum agente da policia está autorizado por lei nenhuma a obrigar o jornalista a destruir o material resultante de um evento público para qual acorreram todos os órgãos de comunicação social, ainda que fosse um evento privado aberto aos jornalistas”. O sindicato diz reservar-se ao direito de eventualmente despoletar mecanismos legais a seguir pelo jornalista Anselmo Leite.O comissário Ribeiro Leitão, instado a pronunciar-se sobre as acusações, disse não ter conhecimento dos factos.

Por: Armando Chicoca

Fonte : voa portugues

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

LinkedIn
Share
WhatsApp