PORTUGAL : Banco Espírito Santo caso no tribunal, o ex-ministro da Economia Manuel Pinho garantiu estar inocente e afirma que a acusação “é totalmente falsa”Banco Espírito SantoPORTUGAL : Banco Espírito Santo caso no tribunal, o ex-ministro da Economia Manuel Pinho garantiu estar inocente e afirma que a acusação “é totalmente falsa”Banco Espírito Santo

Redação:Confidencial News

Sessão do julgamento adiada devido à greve dos funcionários judiciais. À saída do tribunal, Manuel Pinho garante que regressará “as vezes que forem necessárias” para “esclarecer uma mentira”.

Corruptor e corrompido vão defrontar-se em tribunal. Salgado, vítima de doença de Alzheimer, ficará em silêncio e terá em Francisco Proença de Carvalho o seu representante. Já Manuel Pinho tem a sua defesa definida para justificar o dinheiro que mensalmente recebia do Banco Espírito Santo (BES).

Na chegada ao tribunal, o antigo ministro da Economia Manuel Pinho garantiu estar inocente e afirma que a acusação “é totalmente falsa”. Garante ainda que está “preparado” para responder às perguntas e que irá conseguir prová-lo em tribunal.

Manuel Pinho foi constituído arguido em 2017 e, no final do ano passado, foi acusado de quatro crimes, entre eles por corrupção passiva. Está em prisão domiciliária na Quinta do Acento, em Braga, por perigo de fuga.

O Ministério Público afirma que o ex-ministro foi corrompido por Ricardo Salgado, tendo recebido perto de cinco milhões de euros – grande parte em transferências mensais de 15 mil euros.

Estas transferências aconteceram inclusive quando Manuel Pinho fazia parte do Governo, o que o coloca como um “agente infiltrado” do Grupo Espírito Santo (GES) no Executivo, avança ainda o Ministério Público. Durante este tempo, Pinho deveria tomar uma série de decisões que pudessem favorecer o GES, principalmente no que toca à Herdade da Comporta e do Pinheirinho.

Além de Manuel Pinho, estão também acusados a mulher do ex-ministro da Economia, Alexandra Pinho, e Ricardo Salgado, antigo presidente do GES.

Alexandra Pinho, será julgada por um crime de branqueamento e outro por fraude fiscal, em coautoria material com o marido, enquanto Ricardo Salgado vai a julgamento por um crime de corrupção ativa para ato ilícito, um crime de corrupção ativa e outro de branqueamento de capitais.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

LinkedIn
Share
WhatsApp